No estado de São Paulo, mais de 300 mil pessoas não foram tomar a 2ª dose da vacina contra a COVID-19

Levantamento do Ministério da Saúde divulgado no dia 13 desse mês apontou que cerca de 1,5 milhão de brasileiros não haviam tomado a segunda dose da vacina contra a COVID-19, no prazo determinado pelos laboratórios.

Para as duas doses da vacina AstraZeneca o intervalo é de 84 dias, a Coronavac é de 28 dias. Mesmo com o imunizante disponível nas Unidades de Saúde, as pessoas não compareceram para ter a imunização completa.

De acordo com o Ministério da Saúde, São Paulo é o estado com maior atraso, mais de 340 mil pessoas não retornaram para completar a vacinação.

Segundo a coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI), Francieli Fontana, o setor monta uma lista das pessoas que não tomaram a segunda dose no período correto para encaminhar aos estados e municípios.  “Vamos emitir uma lista com essa situação e discutir uma forma para buscar essas pessoas a fim de se imunizar”.

O MS informou que tem reforçado o diálogo com países produtores de vacinas e do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA), com a intenção de aumentar o PNI, até que o Brasil seja autossuficiente na produção desses insumos. Conforme os dados divulgados, o Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) têm capacidade de produzir 1 milhão de imunizantes por dia, esse resultado garantiria 60 milhões de doses ao programa por mês.

A recomendação para os cidadãos que não compareceram para tomar a segunda dose no período correto, é procurar o quanto antes os postos de vacinação.

Na região, pelo menos 555 pessoas não retornaram para tomar a segunda dose da vacina. De acordo com a Prefeitura de Cajamar, cerca de 190 pessoas tomaram a primeira dose, mas não a segunda. Em Francisco Morato, esse número é de 230 pessoas e, em Franco da Rocha, 135.

As Prefeituras de Caieiras e Mairiporã ainda não retornaram ao contato da Redação do Expresso Urbano.

 

Com informações do Ministério da Saúde e CNN.