Profissionais da saúde relatam dificuldades para se vacinar contra a COVID-19 em Caieiras


Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo.

Apesar de a Prefeitura de Caieiras anunciar que a vacinação contra a COVID-19 avança e, inclusive, tendo realizado a vacinação de idosos acima de 75 anos e aplicado a segunda dose em idosos com 85 anos ou mais no último final de semana, profissionais da saúde, que também fazem parte dos grupos prioritários, relataram à Redação do Expresso Urbano dificuldades para se imunizar contra o Novo Coronavírus em Caieiras.

Uma enfermeira que trabalha num hospital particular do município e preferiu não se identificar conta que quando chegou a vacina em Caieiras, foi dito que os profissionais da saúde seriam os primeiros a tomar a vacina. “Foram enviadas dose aos hospitais e onde eu trabalho as doses foram suficientes apenas para o pessoal das UTIs, do pronto socorro, do setor de imagem e do centro cirúrgico”, diz. “Nos postos de saúde, me informavam que só tinha vacina para quem é segunda dose e, muitas vezes, que a obrigação de fornecer a vacina é do hospital em que eu trabalho”, conclui. Após mais de um mês de espera, ela conseguiu se vacinar, pois mais doses foram enviadas ao hospital onde trabalha.

Outro caso é de uma dentista que também pediu para não ser identificada. Por motivos de saúde, ela não conseguiu comparecer ao local de imunização na semana destinada aos profissionais da área da saúde.

“Tentei me vacinar por mais de um mês e não consegui. Acabei procurando a vacina em um outro município e finalmente consegui me imunizar. Nos postos de saúde e na Vigilância Epidemiológica ninguém conseguia me dar uma justificativa do porquê os profissionais da saúde que não conseguiram se vacinar não eram mais tratados como prioridade. Nos postos, o que me diziam é que era para ligar toda semana e ver se havia vacina disponível, mas a resposta era sempre negativa”, reclama.

Lista de “profissionais da área da saúde” é extensa e gera controvérsia

De acordo com o Centro de Vigilância Epidemiológica do Governo do Estado de São Paulo, são considerados trabalhadores da saúde quaisquer pessoas que atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde, sejam eles clínicas, ambulatórios ou laboratórios.

Essa lista compreende tanto profissionais da saúde, como médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontólogos (dentistas), fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários, técnicos e auxiliares desses profissionais, quanto os chamados “trabalhadores de apoio”, como recepcionistas, seguranças, trabalhadores de limpeza, cozinheiros, motoristas de ambulância, cuidadores de idosos, doulas, parteiras e funcionários do serviço funerário.

A Redação do Expresso Urbano entrou em contato com a Prefeitura de Caieiras, via assessoria de imprensa e vigilância epidemiológica, por e-mail, mas não obteve resposta até o fechamento desta reportagem.

Comentários

Escreva seu comentário no campo abaixo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *