Mães reclamam de falta de pediatra na UBS Vila Rosina


Moradoras da Vila Rosina, em Caieiras, se queixam que desde janeiro deste ano não conseguem passar seus filhos e netos na UBS do bairro.

“A minha filha tem 17 anos e uma filhinha. Desde janeiro não conseguimos marcar acompanhamento no pediatra para a minha neta. O mês de fevereiro inteiro, toda segunda, a minha filha ia na UBS e mandavam voltar na semana seguinte para ver se conseguia a consulta. Nada até agora! É um descaso!”, reclama D., que conta também que sua filha teve uma inflamação nas trompas depois da gestação e também não consegue marcar consulta com ginecologista no posto de saúde do bairro. “Ela tem sérios problemas de saúde e não consegue fazer o tratamento correto. Ninguém procura médico por esporte, é só quando precisa”, finaliza.

A filha de J., prestes a completar 1 ano e três meses de idade, é outra que está sem acompanhamento pediátrico desde janeiro. “Quando vamos na UBS, a consulta é com a enfermeira”. Grávida de 8 meses, ela reclama também da falta de médicos para acompanhar a sua gestação. “Tive consulta com a enfermeira no dia 11 agora e na semana que vem tenho outra, ainda sem saber se vai ter médico ou não”.

L. só conseguiu atendimento para sua neta após 15 dias de nascida. Ainda assim, com a enfermeira da UBS. Com o pediatra, o que dizem é para procurar a UBS do Morro Grande. “Mas é fora de mão: por carro de aplicativo é muito caro, o ônibus também é caro e só passa de hora em hora”. Ela conta que até o final do ano passado, existia uma van que levava pacientes da Vila Rosina para a UBS de Laranjeiras, mas esse serviço, que facilitava muito a situação, foi interrompido.

Outra mãe que relatou o seu caso à Redação do Expresso Urbano foi J., cuja neta tem sete meses e, desde janeiro não consegue fazer o acompanhamento periódico com pediatra. “Temos um posto onde falta pediatra, ginecologista e nem remédio. Se precisarmos de algum medicamento, temos que ir ou no Centro ou na Laranjeiras e gastar uma condução cara para isso”

O coro é reforçado por M. “Estamos há dois meses sem pediatra. É uma vergonha nossas crianças ficarem sem acompanhamento e, nós, mães, sem ginecologista”, diz.

O que diz a Prefeitura

Procurada para se manifestar, a Prefeitura de Caieiras não encaminhou resposta até o fechamento desta reportagem.

 

Comentários

Escreva seu comentário no campo abaixo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *