Famílias de pacientes precisam levar comida para o Hospital de Campanha: Refeição servida é arroz com mortadela


Foto: Reprodução

Uma reportagem divulgada ontem (07), no Jornal da Record, trouxe novas denúncias sobre o Centro Médico de Combate ao Coronavírus de Caieiras. De acordo com a matéria, a pedido dos funcionários, familiares relatam que precisam levar comida para os parentes lá internados com COVID-19, pois, estaria sendo servido apenas arroz com mortadela frita, ambos de péssima qualidade, de acordo com munícipes entrevistados.

“É tudo precário, três pessoas para cuidar de 44 pacientes”, afirma um munícipe que não preferiu se identificar à reportagem, que também cita a falta de fisioterapeuta pulmonar e o caso do Sr. Antonio Luiz Honório, divulgado em primeira mão, em detalhes, pelo Expresso Urbano. O Jornal da Record, inclusive, exibe o mesmo vídeo, gravado por familiares do Sr. Antônio, em que uma funcionária do Hospital de Campanha diz nunca ter visto fisioterapeuta naquele local.

Sobre a comida servida e a entrega de alimentos para os pacientes, a Secretária de Saúde, Grazielle Bertolini, disse à Record que as denúncias serão apuradas.

A reportagem também mostra a situação do Pronto Socorro Municipal, que ganhou nova pintura, com as cores da atual administração, no qual pacientes com e sem COVID-19 dividem o mesmo espaço, assim como acontecia há pouco tempo no Hospital de Campanha, em que a separação das entradas da UBS e do Hospital era feita apenas por uma divisória.

Arroz com mortadela

O arroz é um alimento que faz parte da alimentação básica do brasileiro. Rico em carboidratos, este alimento fornece energia para as células. Já a mortadela é um embutido, uma mistura de carnes de suínos e bovinos, rica em sódio (sal) e gordura. Portanto, não indicada para quem precisa manter uma dieta equilibrada e está em processo de recuperação de saúde.

De acordo com a nutricionista clínica, pós-graduada em nutrição clínica e terapia nutricional, Dayane Floriza da Silva (CRN 3 47216), a alimentação citada pelos familiares de pacientes – arroz com mortadela – não é composta de nutrientes adequados para um aporte calórico ideal a ser ingerido neste momento de vulnerabilidade, devido a sua má composição nutricional e a má qualidade dos alimentos. A mortadela é um alimento industrializado, rico em sódio e não oferece nenhum nutriente benéfico para a melhora do estado do paciente.

Uma alimentação adequada para o momento de internação é aquela que oferece uma composição rica em nutrientes, independente da sua textura, que irão auxiliar na melhora do estado nutricional e imunológico do paciente. Composta de alimentos in natura (naturais) e minimamente processados (com pouco processo de preparação) como: legumes, verduras, frutas, arroz, aveia, leguminosas (como por exemplo, o feijão), peixes, carnes, ovos ou leite.

Confira a reportagem da TV Record clicando neste link.

Remédio sem eficácia comprovada contra COVID receitado no Hospital de Campanha

Além da história do Sr. Antônio, o Expresso Urbano já havia publicado uma outra reportagem informando que a Ivermectina, uma medicamento para verme, sem eficácia comprovada contra a COVID-19 e que faz parte do “Kit COVID”, defendido pelo presidente Bolsonaro, foi receitado a um paciente que buscou atendimento no Centro Médico de Combate ao Coronavírus de Caieiras.

Relembre este caso. Clique aqui.

1 Comentário

  1. Thiago Macedo
    8 de abril de 2021
    Responder

    Infelizmente, passei por isso lá, deveria ter filmado!!

Escreva seu comentário no campo abaixo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *