COVID: São Paulo entra em fase emergencial


Foto: Governo do Estado de SP.

O Estado de São Paulo vai entrar em fase emergencial a partir do dia 15, próxima segunda-feira, até o dia 30 de março. Atividades religiosas, campeonatos, aulas presenciais, depósitos de materiais de construção, parques e praias estão proibidos de funcionar durante esta fase mais restritiva do Plano SP.

A situação em todo o Estado é bastante grave. Já são 53 municípios com 100% dos leitos de UTI ocupados, o que compromete toda a assistência médica, inclusive para pacientes de outras doenças, além da COVID-19.

O Estado tem uma média de 87,6% de ocupação em leitos de UTI e a Grande São Paulo, 86,7%. Em 22 de fevereiro, o Estado tinha 66% de ocupação, o que demonstra a velocidade com que a doença avança. Hoje (11) temos 9.184 pacientes internados com COVID-19.

O número de pacientes internados em UTIs atualmente, de acordo com o Secretário Estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, é 47% maior do que o registrado no último pico da segunda onda da pandemia, quando aproximadamente 6400 pessoas ocupavam leitos desse tipo.

Toque de recolher continua entre 20h e 5h

O Governador João Dória também anunciou que o toque de recolher vai continuar até o final do mês entre as 20 e as 5h, como medida de conter a circulação de pessoas. No entanto, não haverá multa para quem estiver na rua sem justificativa, apenas abordagem para que se dirija para casa.

Quem estiver sem máscara estará sujeito a multa.

Escolas

O Governo decidiu adiantar os recessos de abril e outubro para as próximas duas semanas de março, terminando no dia 28. As escolas do Estado estarão abertas apenas para alimentação dos alunos ou para aqueles que precisem de suporte para as aulas remotas.

A recomendação é que as escolas municipais e particulares sigam o mesmo cronograma. Não sendo possível, continua valendo a regra de lotação máxima de 35%.

1 Comentário

  1. […] o dia 15 de março, o Estado de São Paulo está na fase emergencial, na qual várias medidas de proteção devem ser […]

Escreva seu comentário no campo abaixo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *