Colapso: Franco e Morato já contam 17 mortes por falta de UTI


Foto: Yan Boechat/Folhapress.

Você lembra quando, recentemente, saiu a notícia de que 11 pessoas haviam morrido em Taboão da Serra por falta de leitos de terapia intensiva?

A cidade de Franco da Rocha ultrapassou hoje o número de óbitos de pacientes contaminados com a COVID-19 que aguardavam por um leito de UTI registrado em Taboão: de acordo com nota oficial divulgada pela Prefeitura na tarde desta terça-feira, são 15 mortes em decorrência da superlotação nas UTIs. Em Taboão, são 14.

Do fim de semana até hoje, segundo reportagem do SP1, da TV Globo, foram 13 óbitos na capital e nas cidades do entorno. No total, desde primeiro de março, ao menos 47 pessoas em toda a Grande SP já perderam a vida por falta de leitos de terapia intensiva.

Em Francisco Morato, cidade em que a Prefeitura informou que 100% das UTIs estão ocupadas, foram registradas as mortes de duas pessoas que também não conseguiram um leito a tempo.

Em Franco da Rocha, no hospital de campanha, que recentemente teve o número de leitos aumentado de 36 para 46, 35 já estão ocupados. Segundo a Prefeitura, 6 pacientes estão em estado grave e aguardam transferência para UTI.

63 cidades em todo o Estado já não tem mais leitos de UTI

A situação é grave em todo o Estado. Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, mais de 10 mil pacientes estão internadas com quadros críticos em leitos de terapia intensiva. Na Grande SP, a taxa de ocupação de leitos de UTI por pacientes com COVID-19 chegou a 90,5%.

Em 63 dos 645 municípios paulistas, não existem mais leitos de UTI disponíveis para atender pacientes com o Novo Coronavírus.

 

2 Comentários

  1. […] mês de março, o município teve 15 óbitos de pacientes por Coronavírus, que aguardavam transferência para Unidade de Terapia Intensiva […]

  2. […] o início do mês de março, o município teve dois óbitos de pacientes  que aguardavam transferência para Unidades de Terapia Intensiva (UTI), em decorrência da […]

Escreva seu comentário no campo abaixo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *