PM agride homem negro em Caieiras


Envolvidos na ocorrência denunciam racismo por parte dos policiais

Um caso de violência policial ocorrido em Caieiras ganhou repercussão em toda a região e, inclusive, nacionalmente.

Vídeos que estão circulando pelas redes sociais mostrando quando um PM agride com um soco no queixo Kaio Souza, numa abordagem na Rua Siriema, no Portal das Laranjeiras.

Kaio e mais dois homens haviam sido abordados pelos policiais e começou, então, uma discussão, com empurrões e ofensas das duas partes.

Segundo Higor Ramos, um dos homens envolvidos na ocorrência, a discussão teve início quando ele e seus amigos foram chamados de “neguinho” e “lixo” pelos policiais. Um dos PMs, de acordo com Higor, treina na mesma academia e já revezou aparelhos com ele.

“Abordagem policial na minha vida, quer dizer, na dos pretos, é normal, mas, agressão física de quem deve nos proteger é um absurdo”, escreveu ele num post em suas redes sociais.

O boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia de Caieiras como embriaguez, resistência, desobediência e lesão corporal mútua e seguiu também para a análise da Corregedoria da PM.

O vídeo com a agressão, além das redes sociais, foi publicado pelo Jornal Hoje, da TV Globo, pelos Portais UOL, R7 e pela Mídia Ninja.

O que diz a Polícia Militar

A Secretaria de Segurança Pública do Estado, por meio de nota, informou que as circunstâncias relativas à ocorrência estão em investigação pelo 1° Distrito da Polícia Civil de Caieiras, além de ter sido aberto um inquérito policial militar (IPM), com acompanhamento da Corregedoria da PM.

O agente envolvido foi afastado do serviço operacional, ou seja, das ruas, e continuará assim enquanto durar a apuração dos fatos.

A Secretaria afirmou ainda não compactuar com desvios de conduta de qualquer natureza e defendeu a apuração rigorosa dos fatos. Reforçou, também, que tais atitudes não refletem os valores e práticas difundidas pela Polícia Militar.

Repercussão

Ainda ontem (30), o Conselho da Comunidade Negra e Indígena do Município publicou uma nota repudiando a forma com que a abordagem foi realizada pelos policiais.

Segundo a nota, “essa forma de abordagem apenas corrobora o despreparo dos policiais, demonstrando a face perversa do racismo institucional e estrutural que vigora em nossa cidade”. A nota diz ainda ser lamentável a forma como casos como esse se multiplica numa época em que informações sobre direitos humanos estão acessíveis a todos.

O prefeito Gilmar Lagoinha postou em suas redes sociais, há poucos minutos, uma nota posicionando-se contra a violência e “prezando sempre pelo diálogo entre as partes”.

Comentários

Escreva seu comentário no campo abaixo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *