Boi na linha – Edição 04 – Não era amor, era cilada!


Arte: Expresso Urbano

Não era amor, era cilada!

Existe uma lenda urbana na província de que os pobres ganharam, finalmente chegaram ao poder e, assim, governarão para aqueles que sempre foram esquecidos.
Mas, a realidade é outra, os ricos e influentes continuam governando, o novato é a laranja que usaram para vender um discurso bonito e convincente, no entanto, eles permanecem no poder e os esquecidos continuam esquecidos. Alguns já começam a questionar, será que a favela venceu mesmo? Acabou o amor.

Brincadeira de criança

Tem gente que não sabe perder, mas também existem aqueles que não sabem ganhar. A vitória subiu tanto a cabeça que a arrogância tomou conta e o desrespeito com a história da cidade ficou evidente.
Aparentemente o novato e sua trupe não sabem respeitar quem esteve no mesmo lugar que hoje ocupa.
O ato, que deixou muitas pessoas indignadas, escancarou o amadorismo, a imaturidade e o que muita gente falou durante meses: um moleque não deve ocupar um cargo tão importante.

Fogo nos Pinheirais

As coisas na província andam agitadas! Nero botou a boca no trombone e incendiou o quarto andar: entregou que o novato tá se achando o próprio Luís XIV, não admite os erros e não escuta os conselhos de ninguém, até porque quem manda não é ele, tanto que quem desceu pro meio do auê foi ela…

Que comece o matriarcado!

Não dizem que a palavra final sempre é do homem? “Sim, senhora!”.
É exatamente assim que as coisas acontecem na província. A Cora manda e todo mundo obedece. Aliás, tem gente super incomodada por ter que pedir a bênção dela pra tudo.

Não mexa nas minhas gavetas!

Tá explicado porque Nero andava sumido. É que não querem a presença dele no quarto andar. Talvez porque ele traga algumas verdades inconvenientes, como a que o time não conhece o campo em que está jogando e ainda quer ganhar a partida. Assim, nem com apito amigo…

O golpe tá ai, cai quem quer

O novato é tão amador que não aguentou um ano antes da máscara cair. Oposição sempre vai ter, mas, dessa vez, surgiu de alguém que ninguém esperava.
Algumas alianças se quebram e novas se formam, aos poucos uma ideia vai nascendo, mas vale lembrar que o golpe tá ai, cai quem quer.

Transparência? É aquela usada pra fazer apresentação?

Essa só os mais antigos vão lembrar. Antes das famosas apresentações de PowerPoint, trabalhos eram projetados em transparências. Transparência, aliás, é o que menos teve na apresentação de como o dinheiro do contribuinte vai ser usado. A gritaria foi enorme, mas o novato e a sua turma fizeram cara de paisagem, como se nada tivesse acontecido…

Bom dia com nepotismo!

O que é nepotismo? O nepotismo ocorre quando um agente público usa de sua posição de poder para nomear, contratar ou favorecer um ou mais parentes.
Na província, isso sempre foi comum mas, o novato da “nova política”, disse que isso jamais aconteceria sob seu comando.
Porém, contudo, todavia…veja bem, já aconteceu: a subcelebridade do ensino médio só não permaneceu no fundamental graças ao maninho, que também tem uma função importante: ser a sombra do Fiel Escudeiro.

Mas, eu me mordo de ciúúúúme!

Dizem por aí que o Tesouro tá com ciúme das jogadas do Boleiro. Como um autêntico camisa 9, ele tem ganhado destaque pras bandas de cá e metido gol atrás de gol. Nem parece que num passado não tão distante assim, o bolão era quanto tempo iria durar o técnico…

Bolo de aniversário

Teve muitos parabéns! O novato ganhou bolinho temático pra ficar feliz e relembrar uma das suas muitas jogadas de marketing até aqui. E falando em quarto andar, teve mais festinha e aglomeração sem máscara por lá! Quem comunica se trumbica, sim, Chacrinha. Novos tempos…
Também teve parabéns na vizinhança. O Tesouro e a Esposa do Primeiro-Damo também completaram mais um aninho. De presente, ela quer dar muita $aúde pra Palmirinha.

Garçom, aqui nessa mesa de bar…

Você vai me ver dar mau exemplo! (É, dessa vez não rimou. Acontece…) Quem mais deveria dar o exemplo é bem quem foi flagrada socializando onde não devia.

Troca-troca

Será que foi pra comemorar o novo cargo em terras internacionais? Só pra refrescar a memória, teve dança das cadeiras entre o Piscinão de Ramos (de Azevedo) e as Arábias. Engraçado é que as Arábias não são tão quentes assim e a loira gelada podia esperar uma hora melhor…

O ensino médio já aprendeu matemática?

Eles não aprendem… são amadores, não fazem ideia do que estão fazendo, mas insistem no erro. Além de não saberem matemática, fazem questão de expor a incompetência logo na entrada da província para toda a população ver.
Em pouco tempo, o povo já percebeu a incapacidade do grupo. Quando eles vão começar a comunicar direito?

É notícia (?)

Parece causo de pescador, mas não é. Na faculdade de jornalismo, uma das lições básicas é a de que se um cachorro morde um homem, isso não é notícia. Mas, se o homem é que morde o cachorro, aí sim é um fato que deve ser noticiado. Na província, a cortina de fumaça anda tão grande que até por fazer o básico tem gente ganhando parabéns. Só precisam tomar cuidado pra não tomar um abacate na cabeça, porque machuca.

E falando em notícia…

Corre por aí que o Fiel Companheiro foi chamado para uma entrevista, mas, como cão que ladra não morde, ficou com medinho de ser colocado contra a parede e preferiu falar em outro lugar. Não deu em pizza, mas em hambúrguer…

Ruth e Raquel dos Pinheirais

Além da aparência, a Ruth e a Raquel dos Pinheirais têm muitas coisas em comum, não sabem lidar muito bem com críticas, se acham as donas da razão e o pior: são paraquedistas.
As pessoas decidiram dar poder para as duas, porém, não imaginavam que seriam péssimas desse jeito. É como dizem: dê poder a uma pessoa e você a conhecerá de verdade. Agora, veio em dose dupla.

Xerox também fala

Demorou, mas o Xerox do novato abriu a boca! Antes, só dava pra vê-lo estampado, mas, agora, deu para descobrir que ele tem até voz!

Ser infectado ou ficar com fome?

Na província tem de tudo, menos comida para as crianças, aquelas que serão o futuro do nosso país. Além de se preocuparem em aprender no meio do caos, correm o risco de passar fome. Nos dias bons, o que tem para eles se contentarem, é bolacha com leite. Se quiserem fugir do vírus, têm grandes chances de ficar com fome. Mas não se preocupem, o novato disse que está tudo sob controle…

“Boi na Linha” é uma obra de ficção, qualquer semelhança com nomes, pessoas, fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência.

1 Comentário

  1. junior
    18 de maio de 2021
    Responder

    Só por Deus !!! ta parecendo os trapalhões? ou melhor !! dois patetas kkkkkkkkk … q vergonha … pois até para tirar arreia o pateta tem q pedir pelo amor de deus para os trapalhões kkkkkk …. piada infelizmente. Quem sofre !!! E o povo ….

Escreva seu comentário no campo abaixo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *