Oscar: confira um pouco da trajetória Brasileira na maior premiação do cinema mundial


93ª edição acontece neste domingo (25)

O Oscar, a maior premiação do cinema mundial, acontece neste domingo (25), com a ausência de Bacurau, na categoria de Melhor Filme Internacional, o Brasil “está fora da disputa” na 93ª edição da premiação.

Entretanto, traremos aqui um apanhado das participações do Brasil no Oscar, não só na categoria citada acima, mas de todas as premiações possíveis no evento.

Primeira Indicação

A primeira indicação surge em 1945, com Ary Barroso, com a composição “Rio de Janeiro”, indicada para a estatueta de Melhor Canção Original, pelo filme norte-americano “Brazil”.

Depois dessa, o Brasil invadiu a premiação com diversas participações, nas mais variadas categorias.

Agora, seguimos com a categoria de Filmes totalmente Brasileiros indicados ao Oscar

O Pagador de Promessas, de 1963, foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Internacional;

O Quatrilho, de 1996, também foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Internacional;

O Que é Isso, Companheiro?, de 1998, também recebeu a indicação por Melhor Filme Internacional;

Uma História de Futebol, de 2001, foi indicado ao prêmio de Melhor Curta-metragem em Live-action;

Cidade de Deus, de 2004, foi indicado para 4 estatuetas, entre elas o de Melhor Diretor, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Edição e Melhor Fotografia;

O Menino e o Mundo, de 2016, foi indicado para o prêmio de Melhor Filme de Animação;

Democracia em Vertigem, de 2020, foi indicado para o Oscar de Melhor Documentário;

Dando sequência a essa lista, vamos agora com as Coproduções Brasileiras Indicadas ao Oscar. O interessante dessa seção é que quatro produções venceram o prêmio, mas nenhuma delas foi creditada à brasileiros.

Orfeu Negro, de 1960, uma coprodução entre Brasil, França e Itália, vencedor do Oscar de Melhor Filme Internacional. É inclusive a primeira produção de língua portuguesa a conquistar uma estatueta e a única na categoria de Filme Estrangeiro;

Raoni, de 1979, uma coprodução entre Brasil, França e Bélgica, indicado ao Oscar de Melhor Documentário;

O Beijo da Mulher Aranha, de 1986, foi uma coprodução entre Brasil e Estados Unidos, indicada aos prêmios de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Filme Internacional e Melhor Atriz, além de ter vencido na categoria de Melhor Ator, com o norte-americano William Hurt;

Central do Brasil, de 1999, uma coprodução entre Brasil e França, indicado ao Oscar de Melhor Filme Internacional e Melhor Atriz, com Fernanda Montenegro;

Diários de Motocicleta, de 2005, foi uma coprodução entre Brasil, Argentina, Chile, Peru, Reino Unido, Alemanha, França e Estados Unidos, indicado ao prêmio de Melhor Roteiro Adaptado e vencedor do Oscar de Melhor Canção Original com “Al otro lado del río”;

Lixo Extraordinário, de 2011, foi uma coprodução entre Brasil e Reino Unido, indicado ao Oscar de Melhor Documentário;

O Sal da Terra, de 2015, foi uma coprodução entre Brasil, França e Itália, indicado para a estatueta de Melhor Documentário;

Me Chame pelo Seu Nome, de 2018, uma coprodução entre Brasil, Estados Unidos, França e Itália, indicado aos prêmios de Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Canção Original e vencedor do Oscar por Melhor Roteiro Adaptado.

Encerramos essa viagem ao Oscar com a lista de Brasileiros indicados ao Oscar por trabalhos em filmes estrangeiros.

Ary Barroso, em 1945, foi indicado ao Oscar de Melhor Canção Original para “Rio de Janeiro”, no filme Brazil;

Tetê Vasconcelos, em 1982 foi indicada ao Oscar de Melhor Documentário, por El Salvador: Another Vietnam;

Luciana Arrighi, em 1993, ganhou o Oscar de Melhor Direção de Arte, por “Howards End”. A decoradora de arte ainda foi indicada para o mesmo prêmio outras duas vezes, em 1994, por “The Remains of the Day” e em 2000, por “Anna and the King”;

Carlos Saldanha foi indicado três vezes ao Oscar. A primeira delas em 2002, para Melhor Filme de Animação, com “A Era do Gelo”, em 2003 volta a disputa para Melhor Curta-metragem de Animação, com “Gone Nutty” e em 2018 para Melhor Filme de Animação, com a produção “Ferdinand”;

Sérgio Mendes e Carlinhos Brown foram indicados ao prêmio de Melhor Canção Original, com a composição “Real in Rio” pelo filme “Rio”, em 2012;

Curiosidades

Em 1941, o Brasil tem suas primeiras representantes da cerimônia, com as irmãs Carmen e Aurora Miranda, presentes na 13ª edição da festa;

Em 1987, na 59ª edição do Oscar, a atriz Sônia Braga apresentou, ao lado de Michael Douglas o prêmio de Melhor Curta-metragem em Live-action;

Já em 2003, Caetano Veloso se apresentou com a cantora Lila Downs, onde interpretaram a música “Burn it Blue”, trilha sonora do filme Frida.

Comentários

Escreva seu comentário no campo abaixo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *