Comerciantes de Caieiras protestam contra restrições da fase vermelha


Foto: Luiz Berti / Expresso Urbano

Um grupo de cerca de dez comerciantes de Caieiras organizou, na manhã desta sexta-feira (5), um protesto para pedir ao prefeito Lagoinha que não siga as recomendações do governo do estado de São Paulo que determinam que apenas as atividades essenciais funcionem de 06 a 19 de março. A medida foi tomada pelo governador João Dória, com base no grande número de contaminados em todo o estado e por conta dos leitos de UTI estarem com 100% de ocupação em muitas cidades.

Com faixas pedindo socorro, dizendo que precisam abrir todos os dias e que não são culpados pela situação, os comerciantes não sensibilizaram os populares que assistiram ao protesto. A baixa adesão foi sentida também pelos organizadores.

No final da tarde, o prefeito assinou um decreto seguindo as orientações do governador e liberando o funcionamento apenas de serviços essenciais durante as próximas semanas.

De acordo com informações divulgadas pelas prefeituras da região, os leitos de UTI  já atingiram 100% de sua capacidade em Mairiporã e Francisco Morato. A prefeita de Francisco Morato, inclusive, fez um vídeo implorando que a população respeite as restrições pelo menos durante os próximos 15 dias.

Hospitais de Campanha auxiliam no atendimento a casos leves e moderados

Montados no início da pandemia, os hospitais de campanha seguem atendendo a população em Francisco Morato, Caieiras e Mairiporã. Os leitos desses hospitais são destinados a pacientes que apresentam de sintomas leves a moderados e que teriam que ser atendidos nas unidades básicas de saúde ou no pronto atendimento, piorando a contaminação.

Em Mairiporã, o hospital de campanha continua a funcionar nas dependências do Hospital Anjo Gabriel e em Francisco Morato está instalado na Santa Casa de Misericórdia e também segue em funcionamento desde março de 2020.

Já em Caieiras, a estrutura montada pela gestão anterior foi desmontada pela administração do prefeito Lagoinha e hoje funciona, provisoriamente, dividindo espaço com a UBS de Laranjeiras, separadas apenas por uma divisória baixa.

Por sua vez, em Franco da Rocha, o hospital de campanha que havia sido erguido em uma grande tenda, dentro do Parque Municipal, foi fechado no ano passado, ainda na administração Kiko Celeguim.

Comentários

Escreva seu comentário no campo abaixo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *